Buscar
  • Chiclete mkt

Frustração

E aí em mais um momento da tua vida eu me deparo com a Frustração. E quando eu me pego pensando o que que é essa frustração, logo me vem uma ideia, das expectativas que eu coloquei em cima de algo que não foi suprido, expectativas do outro que eu coloquei no outro e o outro não atendeu como eu gostaria que tivesse atendido e isso me frustra.



Só que junto com a frustração chega uma inabilidade de me comunicar. Comunicar exatamente o que se quer


, de pedir exatamente o que se quer. De deixar explicito realmente o que se esperava que pudesse ter acontecido.


Então, pensando mais um pouco, frustração também está relacionada com a comunicação, a minha inabilidade de me comunicar. Não somente em relação a expectativa do outro, mas muito também em relação que eu me frustro comigo por não ter me comunicado da forma como eu gostaria, por não ter expressado exatamente aquilo que eu queria expressar.



Mas talvez, se eu tivesse expressado da forma como eu gostaria, o outro teria agido da forma como queria? Eu não sei. Mas ao menos eu saberia que eu fiz exatamente o que eu queria fazer para ser honesta comigo, para ser justa comigo.


Então, frustração também está ligada a honestidade. Quando eu não sou fiel aquilo que eu penso, aquilo que eu sinto, aquilo que eu quero, eu também me frustro. E aqui eu não estou falando do que o outro fez, eu estou falando das minhas fragilidades, das minhas incapacidades. Sair da postura de criança que só busca culpados, para assumir um posicionamento maduro emocionalmente, requer assumir responsabilidades pelo o que eu poderia ter feito, ter falado e não fiz, e não dei conta de fazer. Então, essa frustração é minha, é comigo, não é do outro. Porque do outro é do outro, eu não dou conta. Do outro é do outro, eu não preciso dar conta. Essa conta não é minha. O outro não sou eu. Ele é ele e eu sou eu.


Assumir responsabilidade é assumir quem se é, com suas fragilidades. Mas percebendo que mesmo assim, mesmo aos trancos e barrancos eu posso dar conta, nem que seja de um pouco, eu posso dar conta, eu quero dar conta, eu quero suportar, eu quero sustentar, eu quero fazer. Eu me permito falar, eu posso realizar. E qual é esse pequeno passo, o que eu posso fazer de diferente para usar essa frustração que está aqui no meu peito, esse sentimento de inadequação, de não preenchimento? Como eu posso fazer para colher isso e me engrandecer, me valorizar, me aceitar assim como eu sou, limitada, um tanto ousada, fragilizada, frustrada? Como eu posso olhar para isso tudo de forma diferente e buscar força no que me frustra em mim? Conseguir responder essas perguntas me ajudam a fortalecer meu Autoconhecimento, o meu poder interno!


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo